Primeiramente, dizer o quanto meu coração anda extremamente abatido e triste com essa tragédia que ocorreu lá onde a familia de minha mãe nasceu e cresceu boa parte da vida. Meu primeiro banho de mar quando bebê também foi lá. Sempre comentei com orgulho da Ilha Grande – onde minha mãe, meus tios e vó nasceram- à amigos e conhecidos. Logo, dedico aos conhecidos, aos não conhecidos e aos parentes que pouco vi o meu coração que doi e chora nesses segundos que escrevo essa pequena justificação do meu poema e oro ao Senhor para que limpe seus olhos e suas lagrimas, na esperança de nos  encontrarmos depois no fim de tudo lá na Sua morada eterna. Dito essas palavras deixo o poema com o título Yumi, da filha de Geraldo e Sônia, donos da pousada. Não os conheco mas eles são homens como eu por isso minha ligação com eles é eterna. Não sinto a perda de ninguem como eles sentem mas me compadeço sinceramente. Que Deus tenha misericórdia.

Yumi

Os amados se foram

Agora a luz da verdade me assombra.

A chuva se esvaziou,

agora os moços e moças desconhecidos me tocam,

Meu espirito se transportou aos corações que choram,

vão se embora.

o vazio ficou, a tristeza

já se fora.

O que fazer agora?

O que era verde, limpo e vivo, se limpa por hora.

Se cava para ver

a agonia de perder.